O mundo de Palavras: 07/04/2010

Bem Vindo/a

Sejam bem vindos ao "Mundo de Palavras", este é um blogue de autor e parte integrante do projecto Poesia Portugal, nascido a 1 de Janeiro de 2009 tem como principal objectivo levar a poesia e a minha opinião pessoal mais longe, tem também como objectivo unir o público e os escritores através do projecto Poesia Portugal.

Se estiverem interessados em ser adicionados aos companheiros desta casa por favor façam essa referência nos comentários, e procedam ao adicionar do blog aos vossos companheiros. ( Obrigado )

Estamos disponíveis nas redes sociais

no Facebook -> https://www.facebook.com/JosePinaOficial/
https://www.facebook.com/PoesiaPortugal

no Twitter -> https://twitter.com/jpina9

Nota: para uma total visualização do blogue por favor desliguem o adblock ou outros bloqueadores uma vez que os mesmos bloqueiam o acesso a aplicações externas por exemplo o google + .
Se por algum erro não se conseguirem tornar seguidores do blogue por favor usem o sistema de seguidores do google +. Obrigado !

Saudações
José Pina

07/04/2010

O choro das tragédias

Neste Mundo desigual
vivem populações sem igual
que assistem a tragedias
como a banalidades da comédia

discutem sobre o ambiente
numa lógica inconveniente
veêm o desabar de paises
que continham tantas raizes

Chile,Haiti e "Madeira"
são falados por coscuvilheiras
o mundo discute as tragédias alheias
num lugar já sem ideias.

Ideias e Devaneios
que ocultam os verdadeiros anseios
vivem com o medo da natureza
nesta logica da realeza.

Sentem o medo do Desabamento
num lugar conhecido pelo tormento
vivem com a ideia do perigo
no centro do seu umbigo



Direitos
Texto:José Pina
Imagem: google Images

Texto Dedicado a todas as vitimas das tragédias que se abateram sobre os 2 paises e a região autónoma da Madeira...

decisões

hoje procuro a decisão final
não sei bem se haverá igual
penso em tudo e reflicto
neste eterno maleficio


todos me pedem "ACORDA"
não te deixes adormecer
o problema é que já não sinto
nada para me fortalecer


vivo com a esperança
uma esperança chamada tempo
um tempo que me traz a memória lembranças
lembranças desses sucessos do vento


busco a diversidade nesse teu céu vermelho
vermelho do sangue que já derramei
sangue esse que nunca recuperarei
dessa raposa de olhar matreiro


levas tudo o que me é importante
peço te deixa o meu coração
pois sem ele foge a minha razão
e fico sem a minha parte integrante.



Direitos
Texto:José Pina
Imagem:Google Images

Partilha com os teus amigos(as)

Pedidos de Poemas

Boas pessoal, aqui vão puder deixar os vossos pedidos de poemas que serão respondidos no blogue por ordem de chegada.