O mundo de Palavras: 24/01/2014

Bem Vindo/a

Sejam bem vindos ao "Mundo de Palavras", este é um blogue de autor e parte integrante do projecto Poesia Portugal, nascido a 1 de Janeiro de 2009 tem como principal objectivo levar a poesia e a minha opinião pessoal mais longe, tem também como objectivo unir o público e os escritores através do projecto Poesia Portugal.

Se estiverem interessados em ser adicionados aos companheiros desta casa por favor façam essa referência nos comentários, e procedam ao adicionar do blog aos vossos companheiros. ( Obrigado )

Estamos disponíveis nas redes sociais

no Facebook -> https://www.facebook.com/JosePinaOficial/
https://www.facebook.com/PoesiaPortugal

no Twitter -> https://twitter.com/jpina9

Nota: para uma total visualização do blogue por favor desliguem o adblock ou outros bloqueadores uma vez que os mesmos bloqueiam o acesso a aplicações externas por exemplo o google + .
Se por algum erro não se conseguirem tornar seguidores do blogue por favor usem o sistema de seguidores do google +. Obrigado !

Saudações
José Pina

24/01/2014

Sacanas Sem lei

"Sacanas Sem lei" 

Eles são sacanas,
Não tem lei nem roque.
E sem mais manhas,
Eles entram a dar choque.

São noites e noites,
A falar sobre clubites.
Com coiçes,
A tratar as clubites.

De um lado fogem á verdade,
Do outro atacam sem piedade.
E no meio da cumplicidade,
Perde se a necessidade de retratar a realidade.

Por entre farpas e factos,
Retratam se danos e tachos.
De polvos e povos,
Reunidos por paixões e maus olfactos.

José Pina, 24 Janeiro 2014, Rotterdão - Holanda

O Paraíso Criminal

Antes de mais boas noites a todos os leitores, começo por me referir a alguns temas da actualidade, finalmente ao fim de 6 anos (salvo erro) resolveu se um homicídio que marcava a investigação criminal portuguesa pela negativa, refiro me ao homicídio de Alexandra Neto e de 1 outro jovem bem como á tentativa de homicídio de um terceiro senhor na mesma noite/manhã. 

Tudo isto seria normal ( no aspecto judicial) , não fosse os contornos desta resolução serem bastante mais gravosos, ora pois Este jovem que confessou estes crimes entregou se quinta feira dia 19 de Novembro de 2013 á PSP com a arma do crime em sua posse, alegadamente a justificação dos crimes foi o facto de ser uma pessoa agressiva , no primeiro homicídio a vitima tentou reagir, o 2º homicídio terá sido por um impulso de defesa e o terceiro acontecimento (tentativa de homicídio) apenas e só disparos por uma rixa de tráfego no transito.

Perante isto e quando estamos já em 2014 com casos como o caso dos 6 jovens da lusófona que morreram ao que se suspeita ter sido a sequência de uma brincadeira á comissão de praxes que acabou mal e ainda o caso do homem baleado em plena luz do dia por 4 indivíduos em plena avenida de Berlim , leva me á conclusão que a insegurança está a atingir níveis insuportáveis.

Além destes crimes que são os mais fixáveis e de mais notoriedade actualmente, temos uma longa lista do que se suspeitam ser crimes de corrupção e tráficos de influências presentes por quase todas as linhas de administração das grandes empresas e cargos governativos/de gestão da república portuguesa.

Mais uma vez e perante estas sequências o povo português fica confrontado com uma realidade onde tem de escolher entre a sua segurança (física) e a sua segurança (financeira) ou até mesmo a sua segurança (de direitos) . Somos ou não somos um paraíso criminal a todos os níveis?

Vejamos por último ainda o caso dos 14 (salvo erro) sírios enviados ilegalmente através da Guiné através do sequestro (sim é essa a palavra correcta) de um avião da companhia portuguesa TAP, todos eles com passaportes falsos arranjados ao que se sabe na Turquia, todos eles ilegais , o SEF em detrimento de os reencaminhar no primeiro avião para a Guiné (sitio de onde vinham ilegalmente devido ao suposto suborno da policia local) , não , optou pelo reencaminhamento destes sírios até ao centro de refugiados , como resultados práticos desta acção ganhámos 14 novos habitantes que pretendiam entretanto seguir viagem Europa fora ( o que lhes foi negado pela guardia civil espanhola na fronteira) .

Sem mais comentários e deixando esta reflexão á consciência de cada um de vós.

José Pina 24 Janeiro de 2014 , Rotterdão - Holanda

Partilha com os teus amigos(as)

Pedidos de Poemas

Boas pessoal, aqui vão puder deixar os vossos pedidos de poemas que serão respondidos no blogue por ordem de chegada.