O mundo de Palavras: 11/03/2015

Bem Vindo/a

Sejam bem vindos ao "Mundo de Palavras", este é um blogue de autor e parte integrante do projecto Poesia Portugal, nascido a 1 de Janeiro de 2009 tem como principal objectivo levar a poesia e a minha opinião pessoal mais longe, tem também como objectivo unir o público e os escritores através do projecto Poesia Portugal.

Se estiverem interessados em ser adicionados aos companheiros desta casa por favor façam essa referência nos comentários, e procedam ao adicionar do blog aos vossos companheiros. ( Obrigado )

Estamos disponíveis nas redes sociais

no Facebook -> https://www.facebook.com/JosePinaOficial/
https://www.facebook.com/PoesiaPortugal

no Twitter -> https://twitter.com/jpina9

Nota: para uma total visualização do blogue por favor desliguem o adblock ou outros bloqueadores uma vez que os mesmos bloqueiam o acesso a aplicações externas por exemplo o google + .
Se por algum erro não se conseguirem tornar seguidores do blogue por favor usem o sistema de seguidores do google +. Obrigado !

Saudações
José Pina

11/03/2015

As lágrimas de um fado seguro

Nesta segurança do novo século,
deixaram de haver complexos.
Hoje o terror alastra,
ao compasso de qualquer marcha.

Mortes e mortes entre estradas e pontes,
onde o sangue manchou cidades como quem pinta paredes.
Onde o som da morte são as balas a ressoar por entre as fontes,
e onde o tema em cada manhã nos jornais colocados em largos montes.

Numa era em que a guerra foi levada a outro nivel e a outro extremo,
hoje lutam se por bits e com megas a tiro.
São tempos diferentes onde balas voam nas ruas e nos mundos virtuais,
sem haver capacidade para travar tais marginais.

Tempos em que o tempo é parte do que nos resta,
numa guerra fria desde Berlim até Infesta.
Num sonho cru nunca inacabado,
com um tempo salgado com as lágrimas deste nosso fado.


José Pina , 11-03-2015 , Rotterdão - Holanda.

Parabéns Kota Phill

[K]GB, num assassínio que ninguém sente nem vê,
[O]nde os mais falantes são as vozes daquilo em que não se crê.
[T]oldando uma nova era, num novo mundo num novo universo,
[A]té porque hoje é o tempo complexo que não tem credo nem nexo.

[P]or entre as vozes faladoras de quem não sente nem vê,
[H]oje existem outras de quem admira o que se ouve e se revê.
[I]ntegralmente mudam se os pensamentos e provam se as paixões,
[L]igando as emoções e fazendo autênticas tempestades de sorrisos e sensações.
[L]onge vão os tempos em que esta mensagem teria de viajar quilómetros para conquistar uma emoção.


José Pina , 11-03-2015 , Rotterdão - Holanda .

Partilha com os teus amigos(as)

Pedidos de Poemas

Boas pessoal, aqui vão puder deixar os vossos pedidos de poemas que serão respondidos no blogue por ordem de chegada.