O mundo de Palavras: 12/11/2011

Bem Vindo/a

Sejam bem vindos ao "Mundo de Palavras", este é um blogue de autor e parte integrante do projecto Poesia Portugal, nascido a 1 de Janeiro de 2009 tem como principal objectivo levar a poesia e a minha opinião pessoal mais longe, tem também como objectivo unir o público e os escritores através do projecto Poesia Portugal.

Se estiverem interessados em ser adicionados aos companheiros desta casa por favor façam essa referência nos comentários, e procedam ao adicionar do blog aos vossos companheiros. ( Obrigado )

Estamos disponíveis nas redes sociais

no Facebook -> https://www.facebook.com/JosePinaOficial/
https://www.facebook.com/PoesiaPortugal

no Twitter -> https://twitter.com/jpina9

Nota: para uma total visualização do blogue por favor desliguem o adblock ou outros bloqueadores uma vez que os mesmos bloqueiam o acesso a aplicações externas por exemplo o google + .
Se por algum erro não se conseguirem tornar seguidores do blogue por favor usem o sistema de seguidores do google +. Obrigado !

Saudações
José Pina

12/11/2011

O Improviso da história


Improviso a esta hora 
num texto sem vitória
procuro apenas lembrar a tua memória
para que não caia num buraco da história

estas pequenas linhas que aqui escrevo 
em nada reflectem o teu valor
apenas uma singela homenagem 
ao que sinto sem o teu amor

vives do outro lado dessa muralha
eu cá vivo nesta página do teu livro
que ao arder parecia uma verdadeira fornalha
e no fim todo o mundo ficou vivo

muitos escrevem e gritam ao mundo
eu reflicto e sussurro ao meu amigo
que cá no fundo
me solta desse tão grande perigo

José Pina 12-11-2011

Nuvem Branca


Na poeira desta noite
com a esperança de escapar ao açoite
percorremos kilometros nesta nuvem branca
que nem nos alegra nem nos espanta

corremos atrás deste prejuizo diário
agarrados a qualquer segredo judiciário
em busca de um santo menos autoritário
que nos perdoe o valor diário

um prejuizo que conquista o mundo
e nos esgota o sangue num segundo
andamos todos atrás do miudo
enquanto o graúdo não olha para o mundo

que pensas tu desta ilusão mundial
que confusão fenomenal
busco intensamente a beleza silenciosa
desta sociedade criminosa

numa qualquer esquina
tudo acontece no silencio da pesada noite
calam se os monges e os cães
que na rua buscam os seus pães.


José Pina 12-11-2011

Partilha com os teus amigos(as)

Pedidos de Poemas

Boas pessoal, aqui vão puder deixar os vossos pedidos de poemas que serão respondidos no blogue por ordem de chegada.