O mundo de Palavras: 20/09/2014

Bem Vindo/a

Sejam bem vindos ao "Mundo de Palavras", este é um blogue de autor e parte integrante do projecto Poesia Portugal, nascido a 1 de Janeiro de 2009 tem como principal objectivo levar a poesia e a minha opinião pessoal mais longe, tem também como objectivo unir o público e os escritores através do projecto Poesia Portugal.

Se estiverem interessados em ser adicionados aos companheiros desta casa por favor façam essa referência nos comentários, e procedam ao adicionar do blog aos vossos companheiros. ( Obrigado )

Estamos disponíveis nas redes sociais

no Facebook -> https://www.facebook.com/JosePinaOficial/
https://www.facebook.com/PoesiaPortugal

no Twitter -> https://twitter.com/jpina9

Nota: para uma total visualização do blogue por favor desliguem o adblock ou outros bloqueadores uma vez que os mesmos bloqueiam o acesso a aplicações externas por exemplo o google + .
Se por algum erro não se conseguirem tornar seguidores do blogue por favor usem o sistema de seguidores do google +. Obrigado !

Saudações
José Pina

20/09/2014

[S]empre que o lápis toca no papel,
[A] vida torna se doce como o mel.
[R]ecordas o tempo que passas pregada aquele pedaço,
[A]té que o tempo passa e te esqueçes do teu compasso.

[G]uias a jogada do teu destino,
[R]ecortas o campo e fazes dele o teu menino.
[I]maginas o jogo da tua vida,
[L]onge sentes as bancadas que o validam.
[O]nde todos te gritam e te ensinam.

[M]as o mundo hoje pára,
[A] tua voz ecoa de forma clara.
[N]ão há silêncio que prevaleça,
[S]em que o teu timbre apareça.
[A]gora é tempo de aproveitar,
[S]empre que o mundo te aceitar.

Jose Pina, 20/09/2014, Rotterdão , Holanda.



Um fado sentido

O tempo não é certo, é um fado incompleto que a cada segundo é escrito, a cada momento relido, a cada minuto sentido e por todos nós revivido.

O fado, a música que nos emociona numa história que ninguém relaciona, num destino que nos devora sobre uma vida que muitos ignoram. 

O porquê? o porquê é uma resposta incompleta, porque a vida não é certa e o nosso mundo é feito de soc
iedades secretas.

Neste fado de que hoje falamos, tú és o fadista da moda, cantas com a alma e devoras a fama sendo o final composto por palmas.

Palmas e salvas de quem nada percebeu,

de quem nada sentiu , de quem nada entendeu, porque tudo o que cantaste nessa noite foram histórias da tua vida, foram experiências sentidas e foram momentos revividos.

Agora é hora de descansar as cinzas, nesse mar que te envolve na brisa de uma praia colorida em que o mundo te deseja boa viagem nessa viagem para uma nova margem. 


José Pina, 20/09/2014, Rotterdão , Holanda.


Partilha com os teus amigos(as)

Pedidos de Poemas

Boas pessoal, aqui vão puder deixar os vossos pedidos de poemas que serão respondidos no blogue por ordem de chegada.