O mundo de Palavras: Carta do Oriente para a cadeira do poder

Bem Vindo/a

Sejam bem vindos ao "Mundo de Palavras", este é um blogue de autor e parte integrante do projecto Poesia Portugal, nascido a 1 de Janeiro de 2009 tem como principal objectivo levar a poesia e a minha opinião pessoal mais longe, tem também como objectivo unir o público e os escritores através do projecto Poesia Portugal.

Se estiverem interessados em ser adicionados aos companheiros desta casa por favor façam essa referência nos comentários, e procedam ao adicionar do blog aos vossos companheiros. ( Obrigado )

Estamos disponíveis nas redes sociais

no Facebook -> https://www.facebook.com/JosePinaOficial/
https://www.facebook.com/PoesiaPortugal

no Twitter -> https://twitter.com/jpina9

Nota: para uma total visualização do blogue por favor desliguem o adblock ou outros bloqueadores uma vez que os mesmos bloqueiam o acesso a aplicações externas por exemplo o google + .
Se por algum erro não se conseguirem tornar seguidores do blogue por favor usem o sistema de seguidores do google +. Obrigado !

Saudações
José Pina

06/08/2012

Carta do Oriente para a cadeira do poder

Podia muito bem ser um texto sobre uma qualquer terra para os lados da India mas não, este é mais uma reflexão sobre uma realidade vivida diariamente por quem passa na tão conhecida "Gare do Oriente" a partir das 00:00 , o que se encontra por lá é um autêntico parque de campismo de sem abrigos, esta não é uma critica a quem por azar caiu naquela situação e procura um espaço seguro e minimamente confortável para que as suas noites sejam menos más, é sim uma critica a quem continua a sorrir na gestão de uma autarquia que insiste em assobiar para o lado perante uma realidade a que já não dá para fugir mais...

Há muitos anos que uma simples passagem por um sitio não me fazia ter uma perspectiva tão presente da realidade em que o meu pais está a cair, isso assustou me ao mesmo tempo que me faz pensar o que estou a espera para aproveitar e lutar por mim e por aqueles que estão "no meu grupo", não sei como nem quando mas sei que algo tem de ser feito perante esta realidade, não podemos ser um pais que de dia tem uma realidade para os turistas e á noite tem a podridão e a pobreza na rua.

São palavras fortes mas reais de uma verdade com muitas consequências, durante a noite sai á rua tudo o que de dia é escondido por aqueles que supostamente são os nossos governantes ou por outros que apenas cumprem as suas ordens.

O meu pais, as minhas origens, aquilo em que acredito não é este PORTUGAL, é aquele em que as pessoas são valorizadas, em que existem condições mínimas de vida perante a pobreza, talvez o meu PORTUGAL seja apenas um holograma, mas é e será para sempre o meu PORTUGAL!!!

Saudações
José Pina
Postar um comentário

Partilha com os teus amigos(as)

Pedidos de Poemas

Boas pessoal, aqui vão puder deixar os vossos pedidos de poemas que serão respondidos no blogue por ordem de chegada.