O mundo de Palavras: Por entre os sonhos

Bem Vindo/a

Sejam bem vindos ao "Mundo de Palavras", este é um blogue de autor e parte integrante do projecto Poesia Portugal, nascido a 1 de Janeiro de 2009 tem como principal objectivo levar a poesia e a minha opinião pessoal mais longe, tem também como objectivo unir o público e os escritores através do projecto Poesia Portugal.

Se estiverem interessados em ser adicionados aos companheiros desta casa por favor façam essa referência nos comentários, e procedam ao adicionar do blog aos vossos companheiros. ( Obrigado )

Estamos disponíveis nas redes sociais

no Facebook -> https://www.facebook.com/JosePinaOficial/
https://www.facebook.com/PoesiaPortugal

no Twitter -> https://twitter.com/jpina9

Nota: para uma total visualização do blogue por favor desliguem o adblock ou outros bloqueadores uma vez que os mesmos bloqueiam o acesso a aplicações externas por exemplo o google + .
Se por algum erro não se conseguirem tornar seguidores do blogue por favor usem o sistema de seguidores do google +. Obrigado !

Saudações
José Pina

15/07/2014

Por entre os sonhos

Acordo durante a noite, perdido no tempo, olho á minha volta e nada se destaca, tirando um silêncio profundo nada paira á volta do que era o meu sonho. Levanto me e dirijo me ao frigorifico, faço esta viagem todas as noites mas ainda hoje ao fim de tantos anos este escuro e este silêncio me arrepia, entre outras coisas este silêncio faz me ter um respeito pela vida, faz me ter respeito pelo perigo e com isso impede me de cometer as mais variadas loucuras.

Depois de saciar a minha sede, dirijo me de volta para o quarto, durante todos estes minutos os olhos semi-cerrados tentaram manter vivo o sonho que se desenrolava quando a sede fez o favor de me acordar, infelizmente esse sonho parece não querer voltar, talvez por medo do que o seu significado possa trazer á minha realidade ou simplesmente porque o passeio me fez despertar.

De volta á cama começam as voltas nesta arena redonda que me conforta. voltas e voltas atrás de uma vitória que me permita adormeçer e descansar o corpo e a mente para o raiar do sol que trará um novo dia que vai exigir que eu esteja desperto e activo, mas pelos vistos a arena vence, a madrugada ganha horas na sua extensão e como não podia deixar de ser eu conto as uma a uma enquanto luto para adormecer.

Dou por mim numa sala quadrada com apenas uma mesa e 2 cadeiras, 2 pratos , 2 copos e 1 bilhete, aproximo me desse bilhete e leio o , diz apenas um vago "Bom apetite", penso para comigo onde estou e o que significará aquilo, de súbito a porta abre se , tu entras com um longo vestido de fazer inveja aos anjos, por essa altura pergunto me o que farás ali, lembro me que me tens ignorado durante muito tempo, tu chamas me, eu levanto me e sento te na esperança que pudesse surgir uma explicação.

Tu estalas os dedos e somos servidos, ainda incrédulo pergunto te o porquê de tanto tempo para vivermos este momento, tu respondes me que o tempo tem o seu próprio momento para tudo, apressá lo só tira o valor dos momentos, Sorriu e sirvo te quando de súbito um estrondo faz me acordar, apesar de um sonho interrompido este foi mais um sonho que quero que seja um dia vivido.

José Pina, Roterdão , 15/07/2014.



Postar um comentário

Partilha com os teus amigos(as)

Pedidos de Poemas

Boas pessoal, aqui vão puder deixar os vossos pedidos de poemas que serão respondidos no blogue por ordem de chegada.