O mundo de Palavras: As lágrimas de um fado seguro

Bem Vindo/a

Sejam bem vindos ao "Mundo de Palavras", este é um blogue de autor e parte integrante do projecto Poesia Portugal, nascido a 1 de Janeiro de 2009 tem como principal objectivo levar a poesia e a minha opinião pessoal mais longe, tem também como objectivo unir o público e os escritores através do projecto Poesia Portugal.

Se estiverem interessados em ser adicionados aos companheiros desta casa por favor façam essa referência nos comentários, e procedam ao adicionar do blog aos vossos companheiros. ( Obrigado )

Estamos disponíveis nas redes sociais

no Facebook -> https://www.facebook.com/JosePinaOficial/
https://www.facebook.com/PoesiaPortugal

no Twitter -> https://twitter.com/jpina9

Nota: para uma total visualização do blogue por favor desliguem o adblock ou outros bloqueadores uma vez que os mesmos bloqueiam o acesso a aplicações externas por exemplo o google + .
Se por algum erro não se conseguirem tornar seguidores do blogue por favor usem o sistema de seguidores do google +. Obrigado !

Saudações
José Pina

11/03/2015

As lágrimas de um fado seguro

Nesta segurança do novo século,
deixaram de haver complexos.
Hoje o terror alastra,
ao compasso de qualquer marcha.

Mortes e mortes entre estradas e pontes,
onde o sangue manchou cidades como quem pinta paredes.
Onde o som da morte são as balas a ressoar por entre as fontes,
e onde o tema em cada manhã nos jornais colocados em largos montes.

Numa era em que a guerra foi levada a outro nivel e a outro extremo,
hoje lutam se por bits e com megas a tiro.
São tempos diferentes onde balas voam nas ruas e nos mundos virtuais,
sem haver capacidade para travar tais marginais.

Tempos em que o tempo é parte do que nos resta,
numa guerra fria desde Berlim até Infesta.
Num sonho cru nunca inacabado,
com um tempo salgado com as lágrimas deste nosso fado.


José Pina , 11-03-2015 , Rotterdão - Holanda.
Postar um comentário

Partilha com os teus amigos(as)

Pedidos de Poemas

Boas pessoal, aqui vão puder deixar os vossos pedidos de poemas que serão respondidos no blogue por ordem de chegada.