O mundo de Palavras: Dedicatórias 03-11-2015

Bem Vindo/a

Sejam bem vindos ao "Mundo de Palavras", este é um blogue de autor e parte integrante do projecto Poesia Portugal, nascido a 1 de Janeiro de 2009 tem como principal objectivo levar a poesia e a minha opinião pessoal mais longe, tem também como objectivo unir o público e os escritores através do projecto Poesia Portugal.

Se estiverem interessados em ser adicionados aos companheiros desta casa por favor façam essa referência nos comentários, e procedam ao adicionar do blog aos vossos companheiros. ( Obrigado )

Estamos disponíveis nas redes sociais

no Facebook -> https://www.facebook.com/JosePinaOficial/
https://www.facebook.com/PoesiaPortugal

no Twitter -> https://twitter.com/jpina9

Nota: para uma total visualização do blogue por favor desliguem o adblock ou outros bloqueadores uma vez que os mesmos bloqueiam o acesso a aplicações externas por exemplo o google + .
Se por algum erro não se conseguirem tornar seguidores do blogue por favor usem o sistema de seguidores do google +. Obrigado !

Saudações
José Pina

02/11/2015

Dedicatórias 03-11-2015

[P]elos recantos do sonho,
[O]ndas invadiram de forma medonha.
[R]ecriando tempos de outrora que nos trouxeram tanta dor,
[T]estando as nossas caracteristicas de sobrevivência e rancor.
[U]nião, amor, dor, tristeza,
[G]ritos que ecoaram por várias cidades e florestas.
[A]inda hoje essas almas são lembradas pelo passado,
[L]evando a que as cópias do presente sejam esquecidas neste presente adaptado.
----------------------------------------------------------------------------------------------------
[K]evlar, és feito de kevlar,
[O]nde as balas batem mas tu sentes como se fosse ar.
[T]erroristas verbais da mensagem que todos apoiamos,
[A]lém mar , entre sonhos em que todos os punhos cerramos.
[P]elos recantos de uma tuga agastada,
[H]onras a mensagem condecorada.
[I]nternacionalmente procurados por várias destas armadas,
[L]evando a vida suburbana neste sonho português,
[L]evando o melhor deste sonho em nome do próximo freguês.
----------------------------------------------------------------------------------------------------
[D]iana, qual Miguel Ângelo da tela,
[A] tela pintada pela mais simples aguarela.
[N]ão mente mas sente em relação ao que se exprime nela,
[N]ão vive mas imagens nascem dela,
[A]inda que o sonho seja sempre dar lhe vida.
[D]e onde o tempo partiu,
[I]dolatrada por quem a arte sente.
[I]guala em qualidade o que a tela demonstra em discussão.
---------------------------------------------------------------------------------------------------
[F]ábia , neste hip hop que amamos,
[A]té que o sonho deixe de ser o que ansiamos.
[B]ebendo desta inspiração crescente,
[I]ndagamos a vertente criativa desta nova vertente.
[A]inda que o sonho seja feito de puxões contínuos.
[M]as a voz que o passado te deu,
[A] vertente de quem a ouve e sente.
[I]r e não sentir, é como se fossem hip hopianos ateus,
[A]inda que o valor esteja lá, não percebem que só a ele mente.
----------------------------------------------------------------------------------------------------
[M]ais do que um silêncio deste treino entre actores,
[A]lém de que liderar homens seja mais do que conciliar egos,esforço e dor.
[R]ir, mantendo o profissionalismo,
[C]olocando sempre entraves ao absentismo.
[O]nde o clube sai ganhador mesmo que no resultado seja vencido.
[B]aila neste universo desportivo,
[A]té que o tempo seja algo nocivo.
[L]eva os assobios como motivações,
[E]ntre pausas do que transmite as emoções.
[L]eva agora esta taça de quem lá está sempre,
[A]té que o espirito ultra se desvaneça neste presente.
Postar um comentário

Partilha com os teus amigos(as)

Pedidos de Poemas

Boas pessoal, aqui vão puder deixar os vossos pedidos de poemas que serão respondidos no blogue por ordem de chegada.